CDS Lisboa

CDS – Concelhia de Lisboa

Notícias

Moradores contra localização de sala de consumo de drogas em Lisboa

Habitantes da Alta de Lisboa lançaram uma petição contra a instalação da primeira sala fixa de consumo assistido de drogas de Lisboa no Lumiar, que já começou a ser construída. Consideram que o local escolhido não cumpre os requisitos legais por estar perto de escolas, equipamentos sociais e uma zona habitacional consolidada.

O presidente da Associação de Moradores do Bairro da Cruz Vermelha, Fernando Baião, diz mesmo que não faz sentido instalar-se uma sala de consumo no Lumiar por considerar que esta freguesia “já não é um dos focos de drogas da cidade”. “Dizem que o problema é no nosso bairro, mas só temos dois toxicodependentes. O levantamento que fizeram há cinco anos já está desatualizado. Tememos que agora venham mais toxicodependentes de outras freguesias para aqui”, receia. O morador, há 54 anos no bairro, chegou mesmo a interpor uma providência cautelar contra a sala de consumo, mas esta não terá sido aceite “por não estar bem fundamentada”, explica.

O vereador do CDS-PP João Gonçalves Pereira, que tem criticado a falta de transparência da Câmara de Lisboa nesta matéria, diz ter sido avisado pela população do início da empreitada. “A Câmara sempre se recusou a dizer onde era o local exato da sala de consumo assistido e está a aproveitar o mês de agosto, quando as pessoas estão fora, para avançar com a obra”, critica.

O vereador centrista diz que “o processo não foi transparente, houve falta de debate, com envolvimento das populações, e está tudo a ser feito às escondidas”. “Não houve discussão, nem uma deliberação de Câmara. Uma sala de consumo assistido comporta riscos, não só porque pode estigmatizar a zona como atrai consumidores, tráfico e criminalidade. E, com escolas num raio de 400 metros, é potenciadora de riscos para a população”, diz ao JN. “Não temos reservas quanto à construção destas salas, desde que contribuam para a reabilitação do toxicodependente, mas a Câmara também não é clara sobre isso”, considera ainda.

ver noticia completa em https://bit.ly/3fJtiOm

-- Partilhe nas redes: